.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } -->

04/04/2013





Quando me deparei com este editorial - Fernando Cabral fotografado por Jacob Sutton, com style de Samuel François, para a edição primavera/verão 2013 da Numéro Homme - pensei que o modelo fosse brasileiro e fui confirmar à net. Qual não é o meu espanto ao descobrir que Fernando Cabral é português, já que nunca tinha ouvido falar nele!
Descobri igualmente que é o único português a figurar na lista dos 50 melhores modelos masculinos da Models.com, já fez campanhas para casas como a H&M e Bennetton e já desfilou para a Hugo Boss. 
Nos finais do ano que passou a polémica instalou-se, já que o mesmo não foi nomeado para os Fashion Awards (prémios de moda organizados pela Fashion TV), e esse facto fez com que várias pessoas (mais e menos conhecidas) acusassem a organização de racismo.
De facto, fiquei estupefacta pelo facto de nunca ter ouvido falar do modelo, e já li uma entrevista em que Luís Borges se queixava do mesmo, afirmando só ter começado a ser convidado para desfiles nacionais após alcançar sucesso lá fora. 
Prefiro acreditar que o facto de Fernando Cabral ter ficado fora dos nomeados para os Fashion Awards se tratou de um erro de casting e que não há racismo na moda em Portugal. Na verdade, gostava mesmo muito que assim fosse; caso contrário, sentir-me-ia envergonhada.
De resto, as fotos do editorial falam por si: divinas!






























Sem comentários: