.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } -->

07/04/2017

| Crónicas da vida airada (ou não) #24 |

É uma das (não) notícias do momento: no final da semana passada, Luísa Beirão foi hospitalizada devido às 'violentas agressões' que terá sofrido em sua casa e, já se sabe, muita tinta vai ser gasta à volta do acontecimento, com mais mentiras do que verdades, digo eu, que acredito pouco no que publica grande parte das revistas 'do social'.
Só nesta semana é que li algo sobre o assunto porque a Elite Lisbon, a agência que representa a ex-manequim, veio emitir um comunicado sobre o episódio, e tenho muito pouco a dizer visto que não conheço os factos, o contexto ou os contornos.
A ser verdade o que li nos meios de comunicação social - que duas relações anteriores da manequim também acabaram mal, com violência à mistura - noto aqui um padrão qualquer, mas não sou psicóloga nem socióloga nem coisa nenhuma terminada em loga que me legitime a dar uma explicação minimamente fundamentada ou científica da coisa.
Assim, vou reduzir-me à minha insignificância e falar somente do que sei: a Luisinha, além de gira que se farta, é uma das mulheres com mais pinta e elegância deste nosso Portugal (miúda, quando decidires desfazer-te de peças singelas do teu closet estou à frente na fila, tá?).
Mas aquilo de que queria mesmo falar era dos comentários publicados na notícia sobre o comunicado da Elite Lisbon.
Penso ser consensual a ideia de que as redes sociais despoletaram um fenómeno, nada bonito, de crescimento de comentários mais ou menos anónimos, cobardes e de uma violência enorme que desconhecia existir (tão ingénua que sou!).
E se estou farta de ver e ignorar esse tipo de comentários cheios de rancor, desta vez fez-me tanta confusão que senti necessidade de extravasar emoções.
Espanta-me a facilidade com que determinadas pessoas afirmam que a Luísa Beirão é fútil, que só quer dinheiro e mais não sei o quê (atenção que estes são os comentários softs). Ela até pode ser, de facto, fútil e gostar de dinheiro, não o sei porque não a conheço, mas aposto que quem escreve estas barbaridades também não.
Há também quem a apelide de vaca e quem diga que ela é feia. A sério? 
Se tiverem a fineza de me indicar onde é o vosso caixote do lixo agradeço, que sou capaz de repescar umas coisas bem jeitosinhas por lá. Upa, upa!
Mas o que mais me chocou foram homens a afirmar que ela deve é gostar de apanhar, ou que se apanhou é porque merecia e outros mimos do género, o que é ainda mais grave: estamos face a seres preconceituosos, machistas e com mentalidades do século passado que continuam a achar normal a mulher ser agredida (não deveria este estado cerebral primitivo estar já ultrapassado?). 
Mais uma vez, não conheço a situação e não sei se a Luísa Beirão provocou ou foi provocada, nem isso interessa: a violência jamais é desculpável, seja contra um homem ou uma mulher. Ponto.
Gostava de saber se estes manda-bitaites-ocos-e-parvos diriam o mesmo se fosse uma filha sua a apanhar. Pois, se calhar o caso mudava ligeiramente, não?
Esta é uma situação que me marcou especialmente pela negativa, mas diariamente vejo comentários a tudo e mais alguma coisa de gente que é entendida em todos os assuntos e mais algum. E a maioria desses comentários estão cheios de inveja barata, que é muito fácil criticar quando a dor de cotovelo é mais do que muita.
Para vocês a solução é muito simples: levantem esse cu balofo do sofá e façam pela vidinha, que é o mesmo que dizer get a life, pode ser?
Vão ver que metade dessa amargura vai logo ao ar.

14 comentários:

O Conto da Amanda disse...

Olá, tudo bem?
As pessoas gostam de colocar sempre a culpa na vítima, não importa se ela é futil ou que gosta de dinheiro, isso é o de menos, o maior de tudo ela ser agredida em um relacionamento, isso que importa e isso que as pssoas tem que aprender a ver e num vez de escrever besteiras denunciar esse ato que muitas mulheres sofrem.
Beijos
http://amandastale.blogspot.com

J* disse...

Infelizmente também li muitos comentários desse género a esta notícia.
Independentemente do que aconteceu a violência nunca é justificável. E sinceramente acho que isso é que é importante, e no que nos devemos focar!

https://jusajublog.blogspot.pt/

Os olhares da Gracinha! disse...

Se a inveja matasse ...
Ter fama e ter que lidar com ela deve ser bem difícil ... Bj

Carla Ramalho disse...

Confesso que não tinha ouvido ainda este assunto (talvez por andar de fora do mundo "vip") mas concordo contigo. As pessoas têm a mania de falar sobre tudo e mais alguma coisa, usando o facto de estarem por trás de um monitor (e usarem o "anónimo" como protecção) para dizerem todas as barbaridades possíveis e imagináveis. São pessoas frustadas com a sua própria vida (ou melhor, falta de vida) que as leva a ser assim tão cruéis e esquecerem-se que todos temos telhados de vidro e volta e meia devemos olhar para o nosso reflexo no espelho. Infelizmente vivemos dentro de uma sociedade mesquinha, onde o apoio pelas vitimas é algo estranho.
Beijinhos ...
Guloso qb

Camila Faria disse...

Culpabilizar a vítima, até quando, né Marta? Uma tristeza essa chuva de comentários machistas e preconceituosos a cada novo caso de agressão. Lamentável demais.

alfacinha disse...

Há muitas pesoas feias neste mundo
bjo

Sónia Miranda disse...

Ela não tem tido mesmo sorte nesse aspecto. Ás vezes pensamos que a vida dessas mulheres giras é um máximo e ficam-se a conhecer coisas destas... bolas.

Fernanda Maria disse...

Gente cobarde e sexista que me mete nojo.
Quem é figura pública sofre ainda mais com estes energúmenos.

Um beijinho

O Toque do coração

Thayse Stein disse...

Incrível como as pessoas (principalmente na internet) conseguem ser más e assumem uma personalidade inconsequente e egoísta. Esses casos sempre me deixam muito irritada


Beijos
Brilho de Aluguel

Inês Dionísio disse...

Há pessoas muito estúpidas!

Beijinhos,
Inês
http://www.indiglitz.pt

Marta disse...

Mas é que é mesmo a verdade. Se o português se levantasse e fosse fazer pela vida não tinha tanto tempo para estar a mandar vir no facebook, com comentários que em 40 palavras, 39 têm erros xD É o costume.
LA VEINE

Sandra Marques de Paiva disse...

É o costume: as mulheres são umas cabras, umas putas e se levaram é porque mereceram. É triste, mas é o que temos. Os homens são sempre inocentes. Coitadinhos. Mas se, de facto, já não é a primeira relação violenta que ela tem, aconselho-a a pensar bem nas companhias que tem.

Ana Freire disse...

Por acaso, também já tinha notado esse padrão, que mencionaste... sendo ela o único elo comum... em todas as histórias com um not much happy end... dá mesmo que pensar... apesar de não conhecer mais pormenores da história...
Beijinhos!
Ana

m-M disse...

Fujo das secções de comentários destas notícias, exatamente porque crescem em mim instintos homicidas...

Beijinho,