.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } -->

02/08/2017

| Crónicas da vida airada (ou não) #28 |


Não me considero uma mulher de grandes irritações, mas quando me irrito, irrito-me a sério. A falta de educação (ou de civismo, como lhe queiram chamar) é uma das coisas que me tira do sério, principalmente por não conseguir entender.
Vem esta conversa a propósito de uma situação que me aconteceu há dias no Pingo Doce. Cheguei à secção dos produtos de charcutaria e só lá estava uma pessoa a ser atendida. Aproximei-me do dispensador de tickets e vi que não havia nenhum, pelo que pensei que tinham acabado. Como só estava uma pessoa à minha frente pensei ok, sou já a seguir, não há problema.
Chega entretanto uma mulher e, vendo que o dispensador está vazio, pergunta à empregada: não há tickets? (tenho de reconhecer que foi mais esperta do que eu).
A empregada respondeu-lhe que sim, que deviam estar presos, e lá vai a mulher toda apressada buscar o seu ticket. Segui-a, para fazer o mesmo. Retirou-o, e vendo que eu estava atrás (e tendo percebido perfeitamente que eu já lá estava quando chegou), finge que não e já se ia dirigir para o balcão quando a interrompi: Olhe, desculpe, como percebeu perfeitamente eu já estava cá
Com cara de cu e sem me responder, trocou o ticket dela pelo meu. E eu pergunto-me: há necessidade? 
Depois dessa peripécia aconteceu-me uma idêntica numa farmácia que não conhecia. O dispensador ficava no final da farmácia, completamente fora de mão e, como era uma farmácia numa vila, pensei que não tinha. 
Também só estava uma pessoa à minha frente, a ser atendida, e entretanto chegou um cliente que se colocou atrás de mim.
Numa questão de segundos entra uma mulher que se dirige de imediato ao dispensador, no exato momento em que aparece uma outra funcionária e pergunta: quem tem a senha 7?
Respondi que não tinha tirado senha, que pensava que não havia, e ainda não tinha acabado de responder quando a mulher - que tinha acabado de tirar o ticket - se dirigiu à funcionária para ser atendida.
Ficamos a olhar uns para os outros e, entretanto, a pessoa que estava à minha frente foi-se embora e fui atendida pelo único funcionário que lá estava quando cheguei. Pediu-me imensa desculpa, que não tinha avisado que havia senhas porque ia ser atendida logo de seguida e, entretanto, o homem que chegou colocou-se atrás de mim. Disse-lhe: não há qualquer problema, apenas fico surpreendida com a atitude das pessoas. Ele olhou para a papa-senhas, depois para mim e encolheu os ombros, do género pois...
Fico furiosa com este tipo de situações. E se alguém souber, que me explique por favor porque não atinjo: o que é que as pessoas ganham? Dois minutos do seu precioso tempo? E não lhes pesará na consciência? 
Se um dia conseguir alcançar pode ser que me irrite menos.   

23 comentários:

Andreia Barbosa disse...

Já me aconteceu exatamente o mesmo! Existem pessoas que "estão nem aí" para o facto de já lá estarmos ou não... acho que é puro egocentrismo.

http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

Joana disse...

Normalmente acontecem-me coisas assim quando estou na fila para comprar os bilhetes de comboio. Mas aí não existem senhas, apenas pessoas mal educadas que acham que têm o direito de passar à frente dos outros...

Grilices de um Grilo Falante

Wanessa disse...

Já aconteceu comigo :)
bj http://diadebrilho.com

Os olhares da Gracinha! disse...

Deve acontecer mais vezes do que se pensa!!!
Bj

Dora (Blog Desabafos de Mãe) disse...

Quando eu estava grávida da minha segunda filha e já em avançado estado (com uma barriga bem visível) fui para a fila prioritária num supermercado e toda a gente que estava à minha frente (ninguém prioritário) se fingiu de morta mesmo depois da senhora da caixa fazer sinal para eu passar à frente continuaram a colocar as comprinhas deles no tapete como se não fosse nada com eles, como estava bem agradeci à senhora por me ter chamado mas acabei por não passar à frente porque só a logística de ter de afastar tudo dos outros para eu passar ia acabar por demorar mais... mas confesso que fiquei aborrecida com a falta de civismo das pessoas.

feltro nas mãos disse...

Tal qual! 😉
Beijitos

Catarina Morais disse...

Acontece a toda a hora, odeio!
Beijinhos xx

www.catmorais.com

Clementina disse...

Tento não me irritar, mas há situações (pessoas) que me tiram do sério. Não compreendo algumas pessoas que vivem na "selva". Enfim! :)

Ana Freire disse...

Há pessoas que sentem uma necessidade louca de serem as primeiras em tudo... provavelmente não o serão em coisa nenhuma desta vida... a não ser na fila do atendimento por senhas!...
Enfim!... De vez em quando situação assim, já me tem acontecido... no outro dia... a última pessoa da fila de táxis, passou por todos na fila, e descaradamente meteu-se num carro e desandou... é assim!...
Bjs
Ana

amartaeumblog disse...

Aconteceu-me algo do género quando fui fazer a minha inscrição no ginásio.
Estávamos na recepção à espera de ser atendidos. Não nos 'colamos' ao balcão, porque não havia necessidade e a recepcionista já nos tinha visto por uma janela (duma espécie de guichet), mas continuava sem se aproximar.
Entretanto chega uma família inteira e 'cola-se' ao balcão... A recepcionista, olha pela mesma janelinha, sai do seu guichet, e atende-os.
Ok... Ficamos ali a fervilhar, mas tentamos permanecer calmos, até que passou outra pessoa ali na recepção e perguntou se precisávamos de ajuda. Apetecia-nos ter respondido "Não, estamos só a ver as vistas por aqui."
Quando a recepcionista se apercebeu ficou super atrapalhada, pensava que estávamos "à espera de alguém". Mais uma vez apeteceu-me dizer que estávamos "a ver as vistas", mas tentamos ser simpáticos, até porque queríamos mesmo ficar por aquele ginásio.
A tal família disfarçou, não se tinha apercebido que estávamos à espera de ser atendidos... o que não foi nada credível... mais uma vez... apeteceu-me dizer que tínhamos ido para ali, só "ver as tais vistas".

Também não sou muito 'irritadiça', mas às vezes... não é fácil! ;)

A Marta

Marília Silva disse...

Hoje em dia, infelizmente é o que mais se vê .. e se há coisa que me tira do sério é mesmo falta de educação, mais do que civismos até, a falta de educação é algo que me deixa os cabelos em pé! Não há nada a fazer, há pessoas que nascem assim e continuam assim, parvas - que é a única palavra soft que encontro! Hahaha


Mil beijinhos,
http://mimiswardrobe.blogs.sapo.pt

Ana Rita Leite disse...

compreendo-te perfeitamente, pois eu sou igual!
xo, Ana Rita Leite

WHITE DAISY

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, são situações quase correntes. infelizmente penso que já aconteceu a todo.
Continuação de boa semana,
AG

Não sou esperto nem bruto,
nem bem nem mal educado:
sou simplesmente o produto
do meio em que fui criado
Poeta popular Antonio Aleixo

Marisa Cavaleiro disse...

Há sempre os chico-espertos que pensam que os outros andam a dormir...
xoxo

marisascloset.blogspot.com

Elisabete disse...

Não é grave, mas são situações tão irritantes!
Bjs
Bom fim de semana.

Marisa Raquel Fonseca disse...

E aquelas mal educadas que se chegam à frente como se não estivesse lá ninguém nos locais onde não há senhas. Quando reclamamos ainda dizem " Quer passar, passe!" Ufff!
Coco and Jeans by Marisa x My Instagram x My Bloglovin

Sandra Marques de Paiva disse...

Acontece constantemente. Eu nem me dou ao trabalho de reclamar, prefiro esperar mais alguns minutos a ter de me chatear com essas pessoas.

Andreia e Jéssica disse...

É completamente irritante quando passam à frente na fila sou daquelas pessoas que reclama logo fico furiosa principalmente quando estou à horas à espera!
Beijinhos //Jéssica
http://damselme.blogspot.pt

Liliane de Paula disse...

Sempre que posso, dou o troco.

Sandra A. disse...

Se há coisa que me irrita mesmo é isso. As pessoas chegarem ali, passarem à frente e já está. Eu trabalho num bar, onde o serviço é quase self-service e pré-pagamento, às vezes tenho uma fila enorme para atender e as pessoas chegam ali e passam à frente umas das outras porque têm "presa", e eu própria que estou na caixa a atender irrita-me esse tipo de atitudes.

Rute Matos disse...

Oh Marta! Eu sou uma pessoa super calma mas trabalhar na Distribuição tem-me roubado muita dessa calma que me caracterizou a vida toda. Vejo coisas incríveis todos os dias que me deixam os nervos à flor da pele.
Para veres o ridículo da coisa, há uns meses uma senhora começou a discutir com um colega meu (na caixa) por ele ter chamado uma rapariga (que trazia um bebé ao colo) para passar como prioritaria. Enquanto ele atendia a rapariga e o marido o raio da mulher nao parou de discutir e disse, inclusive, que ia fazer queixa dele. Tivemos que nos rir para nao sermos mal educados com a senhora.
Já vi clientes a quase andarem à pancada por causa da mudança de fila quando abre outra caixa.
Já me cuspiram em cima porque, cumprindo procedimentos, disse que poderia devolver o dinheiro total da compra, ja que o cliente usufruiu de um desconto e não tinha efetivamente pago o valor total.
Enfim... poderia estar aqui horas perdidas a contar situações desagradáveis relativas a faltas de respeito, de civismo e até se chá!
Como cliente então... salta-me mesmo a mola!
Beijinhos

Blogdiariodeumafamilianormal.blogspot.pt

Ana Bessa disse...

Somos duas !!

Rute Matos disse...

Era "Não poderia devolver o dinheiro total".