.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } -->

09/05/2017

| Então e o Festival da Canção? |

Já não via o Festival da Canção p'raí desde 1989, altura até à qual me sentava religiosamente em frente à tv para não perder pitada. Delirava com o festival, a eleição da Miss Portugal e os Jogos sem Fronteiras, e quem pensasse em tirar-me de casa nesses dias levava com um não redondo, que era uma miúda com as prioridades bem definidas.
Entretanto cresci, ganhei algum juízo (quase nenhum) e cansei-me das músicas festivaleiras: muito berro, muita luz, muito coreografia, muito laser e pouca música (da boa, pelo menos).
Ao final de todo este tempo decidi dar uma segunda chance ao Festival da Canção porque o modelo deste ano sofreu alterações, tendo as músicas a concurso sido criadas por compositores de quem gosto e que sigo com atenção, como Márcia, Samuel Úria, Luísa Sobral, Noiserv ou Rita Redshoes.
Do Salvador Sobral nunca tinha ouvido falar, mas ao fim de dois minutos da sua atuação (mais coisa menos coisa) disse ao meu homem qualquer coisa do género: pronto, já tenho uma favorita!
Não pensei que ganhasse a eliminatória, muito menos o festival, por ser tão anti-festivaleira: ali não há efeitos, bailarinas desnudas nem coros afinados, apenas uma melodia e uma letra perfeitas e uma interpretação tão, mas tão despojada e visceral, que fiquei absolutamente deliciada.
Desde aí quase todos os dias ouço essa música e fico sempre com o coração apertado, às vezes verdadeiramente emocionada, outras vezes só encantada.
Nas redes sociais multiplicaram-se as críticas ao Salvador: que ele não tem um aspeto normal, que parece deficiente (God, tanta ignorância!), que se apresentou todo drogado, que a roupa lhe fica enorme, que a música dá para dormir, que este ano ficamos nos últimos lugares (grande novidade!), que isto, que aquilo.
Curiosamente, alguns dos piores 'defeitos' que lhe apontaram - ser fora da caixa, com um aspeto indigno de festival, ser muito sui generis a interpretar - foram as características que mais me agradaram, porque estou farta de cromos repetidos com uma presença e um discurso estudados, com um comportamento standard do que parece bem.
Foi o facto do Salvador Sobral ser genuíno e borrifar-se para as convenções que me levou a pensar mas que grande lufada de ar fresco.
Curiosamente também, grande parte das críticas feias que li por aqui e por ali foram feitas por portugueses, que a maioria dos comentadores estrangeiros também se apaixonou pela música e pela individualidade do Sobralito. Estranho povo o nosso.
Críticas à parte, e a acreditar nos media, a Amar pelos dois é das preferidas e uma fortíssima concorrente aos lugares cimeiros.
Nunca acreditei na justiça do Festival Eurovisão da Canção (há muito jogo e muita política pelo meio) e não acho importante ficarmos bem cotados, a não ser para calar a boca a meia dúzia de merdosos que andam por aí. Acho que já ganhamos o que tínhamos a ganhar, uma das mais bonitas composições da música portuguesa de todo o sempre, na minha opinião, que quando uma canção consegue transmitir tanta emoção há que mantê-la bem pertinho.
Ainda assim, hoje à noite lá estarei a espreitar a primeira semifinal do festival e, se não mais não for, a deixar cair uma lagrimita ou outra. 😊
Vai-te a eles Sobralito!  

19 comentários:

Marta Martins disse...

Isso ainda existe ???? =)

Helena Resende disse...

Sempre gostei do festival da canção... e continuo ainda hoje a ver! Hoje fiquei feliz com a passagem do Salvador Sobral!

http://checkinonline.blogspot.pt/

Lux G. disse...

I've never seen one so this piqued by interest.

Ms. Telita disse...

Argh! Não consigo gostar da música nem do moço.



Ms. Telita | Telita LifeStyleFacebookinstagramTwitter

Mafalda Guedes disse...

Não podia deixar de concordar com tudoooo o que foi aqui dito ! O nosso povo não é unido... não digam o contrário! O apoio incondicional de quem representa o país, seja ele quem for, seja ele o que veste ou deixa de vestir...é importante, mas não! A maioria das pessoas são completamente ignorantes e são más. Vejo apoio sim, mas também já vi e li muitas barbaridades. Enfim... vamos com tudo !!!!!!!

Ana G. Neves disse...

Subscrevo!!! :)
Beijinho

Blogue Recanto com Tempero

Classe Cappuccino disse...

Por acaso fiquei muito surpreendida, não o conhecia.

Tulipa Negra disse...

Confesso que ainda não ouvi a música mas fiquei curiosa. Adoro músicas que valem só por si, sem qualquer adorno ou acessório.

Marisa Raquel Fonseca disse...

Tive tempos em que desliguei do Festival pelos motivos gerais. Interesses por de trás das qualificações, fracas prestações e afastamento de Portugal no concurso etc Este ano vibro com a nossa canção e ponho muita fé no Salvador.
Lembro dos tempos em que o país parava para assistir ao Festival Eurovisão da Canção. Temos aqui uma fã que gravava o festival e via e revia.

Beijinho

A mamã vai casar disse...

Adoro o Salvador e a sua música.
Espero sinceramente que ganhe ou pelo menos que consiga uma boa classificação.
Portugal já merece :)

Chic' Ana disse...

Gostei de o ver na quinta feira, precisamente por termos passado! =) ahahahah
Beijinhos

Kati Antunes disse...

A verdade é que passámos à final. Vamos lá ver como corre no sábado :)
Beijinho, Kati

www.katiantunes.com

Os olhares da Gracinha! disse...

A canção é linda e ele interpreta_a de um modo diferente e ainda bem que há essa diferença!
Bj

Simone Antunes disse...

Subscrevo o que disse, a musica é linda e o Salvador vive e sente a musica. Adorei e espero que ele fique nos primeiros. Beijinhos
http://asreceitasdasisi.blogspot.pt/

Maria Glória disse...

Quando podemos escutar música de verdade, com letra e melodia aonde há poesia e beleza, temos que agradecer.
No Brasil, por anos, há falta de música, pois o que está disponível nem se trata de arte.
Marta, uma boa noite querida, beijinhos.

As Coisas Dela disse...

Confesso que no inicio não dei muita atenção, até porque vi crescer a Beatriz Felício que interpretou a música do Jorge Fernando e temos sempre um carinho especial por pessoas assim. Neste momento estou apaixonada pela música do Salvador Sobrar e em todo o sentimento que ele coloca na sua interpretação. Amanhã não há saída à noite para ninguém, vou ficar colada à TV com a maior atenção possível :)

Ana Freire disse...

Então, e não é que ganhou mesmo?...
Ou ganhou a pura emoção em palco, e sem uma carrada de efeitos especiais à volta a piscar... ou foi milagre dos pastorinhos...
Beijinhos!
Ana

feltro nas mãos disse...

E hoje estamos todos em modo: sorriso fácil! 😊 Verdade?!

http://feltronasmaos.blogspot.pt/2017/05/dia-de-sorriso-facil.html?m=0

Rute Matos disse...

Entretanto o Salvador ganhou!!
Também não vejo a eurovisão há uns anos largos. Não sei muito bem porquê mas fui perdendo o interesse (e quando era miúda adorava)!
Confesso que não acreditava na vitoria mas apenas pelo que faláste: politiquices e jogos de interesses entre certos países. Mas aconteceu e o Salvador tem todo o mérito!
P.s.- Ai, os jogos sem fronteiras!! 😊

Blogdiariodeumafamilianormal.blogspot.pt