.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } .jump-link { text-align:right; } .jump-link a { text-align:right; font-size:15px; padding:10px; border: 1px solid #000; background-color:#ccc; color:#000; font-weight:bold; } -->

22/08/2018

| Querida SIC, podes não estragar tudo, s.f.f.? |


A SIC decidiu adaptar a versão americana do Married at first sight, e não deve faltar muito para estrear o formato português, chamado Casados à 1.ª Vista.
Por este mundo fora há várias versões deste reality show de casamentos express, que se processa da seguinte forma: especialistas de diferentes áreas (do género psicólogos, conselheiros matrimoniais e sexólogos) formam casais com base nas suas personalidades, gostos, interesses e ambições, sendo que esses casais só se conhecem no dia do casamento.
Após viverem juntos durante 8 semanas, decidem se querem manter-se casados ou se preferem divorciar-se.
Segundo li, os casamentos são a sério, exceto na Austrália, e os participantes não recebem qualquer compensação monetária, têm de estar mesmo desesperados interessados em casar.
Quando vi pela primeira vez a apresentação de uma qualquer versão estrangeira deste reality show (passa na SIC Mulher) achei que já era too much, e desconfiei que aquilo era tudo construído: como é que duas pessoas que não se conhecem de lado nenhum aceitam casar-se???
Depois fui vendo um bocadinho aqui e ali e quando dei por mim estava um niquinho viciada. 
Percebi entretanto que a ideia até é engraçada: a ciência determina o que é que pode funcionar mas (e este é o grande obstáculo) a ciência não consegue criar química entre as pessoas; como é fácil perceber, sem ela nada feito: os casais até podem ser totalmente compatíveis mas se não existirem borboletas na barriga não há compatibilidade que lhes valha.
Estou curiosa para ver como é que vai ser feita a adaptação para a realidade nacional – ainda somos bastante tradicionais, certo? – e só espero que, desta vez, não estraguem a versão original. É que já me aconteceu variadíssimas vezes estar curiosa com a estreia em Portugal de determinado programa de que gosto e fico-me pelo 1.º episódio, que esta mania de romantizar e/ou dramatizar e/ou facilitar e/ou sentimentalizar em mau o que está bem feito (lembro-me de repente da musiquinha-faz-chorar-as-pedras-da-calçada ou dos testemunhos-dramático-exagerados-dos-coitadinhos-dos-familiares) põe-me os nervos em franja.
E desse lado, há crentes no amor à 1.ª vista?

12 comentários:

Titica Deia disse...

Ando a ver a temporada na Nova Zelândia e fiquei agarrada, não conhecia!!

Não tinha coragem, mas tenho visto que a maior parte que têm são pessoas bem extrovertidas!

Amor à primeira vista acredito, deste que li a Brida aos 14 amos, mas conseguimos ficar juntos? Será que não temos de passar por várias vidas até conseguirmos?

Ps: sim, o da SIC cheira-me a fiasco!!!

Elisabete disse...

Acredito no amor à 1ª vista, embora não me tenha acontecido, foi à 2ª ou 3ª vista. eheheh.
Depois de ler o post, fiquei curiosa.
Bjs

Andreia Barbosa disse...

Eu devorei as temporadas todas da versão australiana! É interessante ver as diferenças entre casais... se por um lado temos casais que até se dão bem, há outros que nem à lua de mel chegam!
Estou ansiosa para ver a versão portuguesa, só espero que não a estraguem, tal como tu!

http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

As Coisas Dela disse...

Nunca vi tal programa mas acabei de ficar muito curiosa. Isso do amor à primeira vista acho que tem muito que se lhe diga... Será que podemos amar uma pessoa sem que esta nos faça ter borboletas no estomago? E sentir borboletas com uma pessoa que se calhar não conhecemos assim tão bem? Ultimamente tenho-me deparado com estas questões... Beijinhos*

Kique disse...

Nannn a SIC não vai estragar vai adulterar é tudo, como todos os programas do genero.
Bjs

Hoje em Caminhos Percorridos - Envelhecer...

A Paixão da Isa disse...

Pois portugal tem a mania de ir buscar sempre as edeias dos outros paises hehe por isso porque nao? Bjs

Miss DeBlogger disse...

Nunca vi o programa apesar de me parecer um conceito interessante de dissecar e analisar ao pormenor. A minha experiência diz-me que a televisão nacional não consegue chegar aos calcanhares das televisões internacionais, por isso... esperemos para ver!

Miss DeBlogger

Cidchen disse...

Quando é que isso vai começar? Eu não costumo ver a SIC. :D

Marta Moura disse...

Ainda não há data marcada. Fica atenta 😉

Avelã disse...

Não conhecia, mas em geral é verdade que as versões portuguesas dos programas costumam ser bastante piores. Não costumo ver reality shows e coisas desse género, mas às vezes vejo qualquer coisa de passagem e parece-me sempre ridículo :P Dramas exagerados, edição e apresentação nada subtis... Enfim :P

Sandra C. disse...

Já vi alguns episódios penso que no TLC.
Em Portugal, os concursos televisivos caminham e apontam para este género de situação.
Não me via nestas andanças.... Não crítico mas....


Beijinhos
Sandra C.
bluestrass.blogspot.com

Sandra Marques de Paiva disse...

Eu apaixonei-me pela minha filha na primeira vez que a vi :)