.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } .jump-link { text-align:right; } .jump-link a { text-align:right; font-size:15px; padding:10px; border: 1px solid #000; background-color:#ccc; color:#000; font-weight:bold; } -->

14/05/2019

| Que séries andam a ver? |


Depois de muito tempo em espera, lá lhe peguei e isso foi o suficiente para só parar quando papei todas as temporadas disponíveis. Black Mirror, partindo da sociedade moderna e situando-se num presente alternativo ou num futuro próximo, centra-se nas consequências imprevistas e quase sempre nefastas das novas tecnologias, e deixou-me viciada q.b.; é que, embora por vezes seja um bocadinho apocalíptica, a verdade é que também reconheci ali situações como perfeitamente possíveis, e isso tem tanto de creepy como de poderoso.

Outra das coisas que muito me agradou é o facto de cada episódio ser autónomo e independente, e a história ou situação contada ou explorada num episódio nada ter a ver com o seguinte.
Adorei, adorei, adorei, e aguardo ansiosamente por mais episódios obscuros. Uuuuhhhhhh.
De momento também estou a seguir O Método Kominsky, que acompanha a vida de Sandy Kominsky (Michael Douglas), um ator que já teve muito sucesso e que atualmente é professor de teatro, e do seu agente e melhor amigo, Norman Newlander (Alan Arkin).
É uma série muito inteligente, em que constantemente a dor alterna com o humor (satírico, na maior parte das vezes), que vive muito das personalidades muito particulares das personagens principais e das suas vivências e dificuldades, que não são poucas, porque ambos já são velhotes.
Embora seja leve, também me deixa muitas vezes a pensar e é isso (também) que uma boa série deve fazer.
Os episódios do Método Kominsky são relativamente curtos (devem durar cerca de 30 minutos), e estou quase a acabar de vê-la, o que significa que estou à procura de novas séries.
Ajudem-me, há alguma no pedaço imperdível, daquelas de fazer maratonas em frente a um qualquer ecrã? 
Uma amiga recomendou-me Chambers e Binge Watching, ambas na Netflix, mas ainda não espreitei nenhuma. No entanto, fica a dica. 😉  

5 comentários:

Love Adventure Happiness disse...

Black mirror já vi todos que saíram até agora, comecei a ver Chernobyl. Good girls, The Big Bang theory, Dark vai voltar em breve, Grey's anatomy, GOT, Modern family, Ozark (acabou a temporada), American Vandal (um bocado parva mas light para desanuviar)...

TheNotSoGirlyGirl disse...

agora ando a ver "sabrina"... nao tem nada a ver com a sabrina the teenage witch que vi na minha adolescencia, é mais dark e obscuro! muito fixe

black miror está muito muito bem concebido! adoro! ja viste o filme interactivo??
TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

Marta Moura disse...

Já. Tão bom 😊

Tulipa Negra disse...

Neste momento estou numa fase muito parva em que começo a ver algo novo e nem o primeiro episódio termino. Sinto saudades de ter uma série nova que me prenda à cadeira.

Vânia Calado disse...

Adorei o Método Kominsky, que série incrível. Também gostei muito do The Good Place, os episódios são pequenos e é muito divertida. :)

Beijinhos