.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } .jump-link { text-align:right; } .jump-link a { text-align:right; font-size:15px; padding:10px; border: 1px solid #000; background-color:#ccc; color:#000; font-weight:bold; } -->

19/02/2018

| Como vai (mal) o português |


Se há coisa com a qual não lido bem é com o mau português. Textos com má construção gramatical e, sobretudo, com erros ortográficos, dão-me a volta ao estômago. Tenho de reconhecer que sou algo mesquinha neste campo, é verdade, mas é o que é.
Quem utiliza a Internet, este mundo sem fim de oportunidades e, em concreto, quem lê blogs, está fartinho de ver a língua portuguesa a sofrer atentados cruéis e, acrescento, desnecessários.
Vamos lá ver uma coisa: quem cria um blog (e existem aos milhares, muitos deles cheios de nada), ainda que o faça de uma forma totalmente despreocupada e descontraída, tem de ter a noção de que aquilo é um espaço de livre acesso e, portanto, deve haver um certo cuidado com o português. 
Não sou perfeita, por vezes tendo a escrever erradamente mas, se tenho dúvidas, vou ao dicionário (e hoje em dia não há desculpas porque com os dicionários online não há que enganar; uma dica de ouro: priberam). Acho até que é uma questão de respeito para com o leitor, digo eu que tendo a respeitar tudo e todos. 
Por isso faz-me confusão ver erros ou más construções frásicas em blogs 'de sucesso', sendo que alguns vivem de patrocínios e parcerias. Mas aqui também há o outro lado: não gosto, não visito. Simples e eficaz.
Agora o que já acho inadmissível é pegar em revistas ou jornais com pouca tiragem - normalmente de âmbito local - e ler frases cheias de erros, não tanto ortográficos, mas de construção, com a má utilização da vírgula a encabeçar a lista. Até porque, por regra, esses jornais e revistas são pagos. Nesses casos há uma obrigação, ainda que meramente moral, de vender qualidade, ou estarei errada? 
Fico, por isso, chocada com o que às vezes leio, escrito por jornalistas (e isso diz muito do estado do ensino superior no nosso país). E eu, que não percebo nada da área, pergunto-me: mas não há responsáveis pela revisão dos textos, alguém que faça o controlo de qualidade?
Como é que se pode esperar que as pessoas escrevam bem se quem tem essa obrigação fá-lo mal e quem compra os jornais fá-lo no pressuposto de que está a adquirir conteúdos em bom português?  
E porque é que tenho a sensação de que a maioria das pessoas se está a marimbar para isto?  

17 comentários:

Gil António disse...

Boa tarde. Totalmente de acordo. Escrever todos escrevem. Escrever bem poucos o fazem. Todas as chamadas de alerta serão sempre poucas.
.
* Aroma da papoila ... E a outra face do sentimento *
.
Uma semana feliz.

Graça Pires disse...

Não posso estar mais de acordo com o texto que acabei de ler, Marta. Infelizmente trata-se muito mal a nossa língua materna. E não é só a escrevê-la mas também a falá-la. Parabéns pelo texto e pela preocupação...
Uma boa semana.
Um beijo.

Eros disse...

É a era da celeridade que atropela a dexteridade...

Ana Freire disse...

Concordo plenamente, Marta... e também este Acordo Ortográfico, não veio ajudar nada... algo que ainda não aceitei... sobretudo quando o aceite... virou aceitado... só um pequenino exemplo... tal como ainda ando a ver se entendo, porque é que no Egito sem p... vivem os egípcios com p...
Até eu, hoje em dia, me sinto analfabeta!...
Beijinhos! Boa semana!
Ana

Camila Faria disse...

Triste demais Marta. Ainda mais quando nos deparamos com os erros em publicações ditas tradicionais. Também fico para morrer quando entro num blog "famoso" e vejo erros horríveis. :/

Beijo, beijo :*

nat. disse...

Concordo Marta...
Acho que todos nós cometemos erros, mas cabe-nos tentar evitar que aconteçam...
Beijinhos... Boa semana!

A Paixão da Isa disse...

Pous ja nao estou de acordo pous cada um escreve como sabe e eu falo por mim pois nao é facil escrever quando temos duas inguas o portugues e o frances pois por vezes metemos os pés pela cabeça por o portugues e frances nao sao a mesma ligua e quando queremos fazer de frances em portugues nem sempre da igual por isso nao estou de acordo mas bom cada um pensa o que deve bjs

amartaeumblog disse...

Penso muitas vezes nisso. Parece que se extinguem tantos postos de trabalho que até se acabou com a responsabilidade de ter alguém para fazer a revisão aos textos.
Ficamo-nos com a correção automática e essa... é o que se vê!

Beijinho d'

A Marta
https://amartaeumblog.blogspot.pt/

Carlos disse...

Não gosto de errar, mas reconheço que o possa fazer por vezes!
Em tempos sei que utilizei muito mal o 'há' e o 'à'...
Vá se eu errar avisas-me?
Agora ficar sem a tua visita é que não...
Beijinho.

Os olhares da Gracinha! disse...

Marimbam - se porque não é prioridade ... o bem falar e escrever português!bj

Madalena Santos disse...

É algo que me causa imensa confusão....só não papo , nem com molho de tomate , o novo acordo ortográfico .. jamais !

Leonor Algarvio disse...

Também tento sempre escrever o melhor possível, às vezes acabo por dar umas gralhas, mas sempre que tenho dúvidas procuro um dicionário. Hoje em dia o que me faz confusão é o "que passa-se" e coisas do género. É um pontapé enorme, sem desculpa, básico!

Blog ♥ Facebook ♥ Instagram ♥

Mrs. Margot disse...

Já fui muito picuinhas em relação a isso e confesso que também já fui mais cuidadoso, mas tento escrever o melhor possível.
No que toca a jornais e revistas de facto há muitas vezes erros que não são compreensíveis.

MRS. MARGOT

Alexandra Soares disse...

Já somos duas, odeio erros ortográficos! É isso e o novo acordo ortográfico!

Vânia Calado disse...

É terrivel ler textos e notícias cheias de erros e não custa nada confirmar (hoje em dia está tudo na net). Um erro ou outro acontece, mas quando são muitos demonstra falta de preocupação e isso é mau.

Rute Matos disse...

Este texto podia muito bem ser meu... porque digo isto muitas vezes!! Também sou mesquinha com o português e sinto-me mal quando percebo que eu própria dei um erro ortográfico. Normalmente, em caso de dúvida, também não dispenso o dicionário. Um dos erros frequentes que me deixa irritada é o "há" de haver. Muita gente não o sabe usar.

Blogdiariodeumafamilianormal.blogspot.pt

Joana disse...

Olá Marta. Concordo em pleno, mas confesso que as vírgulas e onde as colocar esfrangalha-me os nervos nalguns textos. Mas, sem dúvida que existem alguns jornalistas de renome que dão erros graves e aquilo passa por alguns leitores ou editores ou lá o que se chama antes de chegar ao público geral (deduzo eu) ou não...