.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } .jump-link { text-align:right; } .jump-link a { text-align:right; font-size:15px; padding:10px; border: 1px solid #000; background-color:#ccc; color:#000; font-weight:bold; } -->

21/03/2018

| Uma questão de cabelo |


Teria p'raí uns 11 ou 12 anos quando me apercebi que quase todas as adultas tinham o cabelo curto e não conseguia entender porquê. Era também por essa altura que achava a mãe de um colega de escola o máximo porque além de ser muito bonita, a senhora tinha uns caracóis pretos enormes e esplendorosos, e foi por causa dela que decidi que quando fosse grande ia ter o cabelo comprido.
Tive-o quando era teenager - com 16 anos chegava-me quase ao rabo, sem exagero - e não obstante ele tenha sofrido uns cortes, alguns deles radicais (nunca tive problemas em cortar 10 centímetros de uma vez só), foi a partir dos 36/37, mais coisa menos coisa, que nunca mais voltei a conseguir tê-lo comprido.  
É verdade que com o cabelo curto fico com um ar mais jovem e leve, e gosto da sensação wash and go, mas tenho taaaantas saudades de usar coques altos.
Depois de três anos a tentar deixá-lo crescer - de forma completamente falhada, porque há sempre ali uma fase em que o cabrão chega ao pescoço e ganha vida própria, cheio de tiques e manias, que me faz sentir uma espécie de Monstra-das-Bolachas-mas-em-mau e me obriga a ir cortá-lo uma vez mais  - posso afirmar, com muito orgulho, que estou a um dedo de ultrapassar esse cabo das tormentas, e acredito piamente que é desta que vou conseguir deixar o meu cabelito crescer, livre e feliz e saudável, qual borboleta pousando suavemente de pétala em pétala.
Aliás, se não for agora acho que não volta a ser, e essa ideia é demasiado limitativa para a deixar prevalecer.
Por isso desejem-me sorte para este work in progress e com jeitinho já me vêem de coque orgulhoso na cabeça no próximo verão. 
Ainda que logo a seguir me possa passar e lhe faça um corte à rapazinho, que não sou uma gaja muito certa.

26 comentários:

Anabela Costa disse...

Eu sei o que é isso.
Eu tenho cabelo curto e adoro, só enerva-me quando começa a crescer e nem os travessões o consegue dominar.. Há dias que também tenho saudades de colocar o cabelo num coque bem alto.. Beijinhos

Gorduchita disse...

Boa sorte! :)
Eu, pessoalmente, prefiro ver-me com ele mais curto, porque quando cresce um pouco mais, pass a vida com ele preso!

Messy Jessy disse...

Eu sempre tive o cabelo comprido mas às vezes apetece-me cortá-lo pelos ombros ou até menos.
Quando ele começa a criar "ninhos" e a embaraçar-se dá-me uns nervos... mas depois passa.
Um dia ganho coragem e corto-o mesmo.

Gil António disse...

Com o avançar da idade tudo nos vai caindo, até o cabelo, lol ( brincando)
.
* Poema em letras virgens e palavras nunca Escritas. *
.
Deixando um abraço

Vânia Calado disse...

Adoro ter o cabelo curto e acho estranho quando fica um bocadinho mais comprido.

E tentar deixá-lo crescer é terrível porque há uma fase em que o cabelo fica impossível :)

Beijinhos

M. disse...

Eu tive o cabelo pequeno durante algum tempo e gostei. Acho que dá um ar mais leve às pessoas. Agora estou a deixar crescer para poder prender no verão.

Os olhares da Gracinha! disse...

Sempre achei que o cabelo curte rejuvenesce por isso vai gostar!bj

Ana Freire disse...

O meu cabelo, é demasiado finito e embaraça-se com facilidade... apesar de ter um volume grande... pelo que apenas consigo tê-lo pela altura dos ombros... e sempre solto... para não o danificar tanto...
Good luck, então! Vou ficar à espera, dos novos penteados, lá mais para o Verão!
Beijinhos!
Ana

Ana Rita Ferreira disse...

Boa sorte! Existem suplementos naturais muito bons para ajudar nesse processo. :)

Catarina Sofia disse...

Eu deixei o meu cabelo crescer durante uns 3/4 anos, não o cortei, nem as pontas mas cuidava imenso dele. Há coisa de 1 ano decidi corta-lo e já estava pelo rabiosque, no momento foi fácil mas quando olhei ao espelho foi um choque mas sinceramente sinto-me mais leve, era muito cabelo para tratar, fazia imensos nós, mas também só o quero manter pelos ombros/peito menos que isso não mas se é algo que queres força nisso linda!

Diana Fonseca disse...

Espero que consigas, hehe.
Eu também tenho o meu maior do que alguma vez consegui ter.

Marisa Cavaleiro disse...

Boa sorte nesse processo!!!
xoxo

marisasclosetblog.com

Sandra Marques de Paiva disse...

Força aí :)

Diana Santiago disse...

Boa sorte para esse processo eheh
eu sempre fui mais de usar o cabelo longo, agora ando numa de o ter curto e ainda queria cortar mais para experimentar. Mas eu tenho a sorte de ele crescer super rápido :)

Beijinhoos,
santiago | facebook | instagram

Lu Dantas disse...

Ahh eu desejo sorte nessa fase! rs e depois mostre-nos como ele ficou! ;)

beijos!!

https://ludantasmusica.blogspot.com.br

Vanessa Gonçalves disse...

Ahahahah também gostava de deixar crescer..mas não aguento!!!

Cristalee disse...

Eu durante imenso tempo era incapaz de corta-lo! Agora só o gosto de ver curto :P mas devo conseguir cresce-lo se quiser. Só que habituei-me a este look!

www.photographandread.wordpress.com

Larissa Santos disse...

Muito bom. De vez em quando devemos mudar o visual :))

Hoje:- Endiabrados, desejos que me atormentam

Bjos
Votos de uma boa Sexta-Feira

Ana disse...

Ahahaah, venham de lá os coques =)
Beijinhos,
http://chicana.blogs.sapo.pt/

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

As modas vão passando e nem damos por vezes por elas...
Bj

Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

Palavra-padrão disse...

Ai que revi-me tanto nisto, é o drama de sempre! Aquele momento dos ombros (que o meu está a passar agora) é um problema dos demónios...já é a terceira vez que faço alto desvaste na cabeleira, mas depois ando a carpir mágoas até crescer de novo. Eu cá gosto deles ou muito compridos, ou muito curtos, e andar neste vai que não vai capilar tira-me do sério!
Mas estou contigo nesta demanda, acho que é desta que o deixo crescer por mais algum tempo!

beijinho,
Daniela

Pathy Guarnieri disse...

Cabelo curto é vida!

Beijo.
Cores do Vício

silvioafonso disse...

Por que você não chama o Cabo das
Tormentas de Cabo da Boa Esperança?
Este já seria um começo e quanto ao
estímulo que você precisa para dei-
xá-lo crescer me faz lembrar de um
filho que conheci quando ele tinha
22 anos. O "gajo" os tinha lindos
abaixo da linha dos ombros enquanto
os meus, "rente, como pão quente".
A partir dali não os cortei mais a-
té que atingisse a "altura" dos
dele.
Depois tudo voltou como antes, em
nossas vidas...

Um beijo, parabéns pela força e,
continue firme.

silvioafonso



.

Mel disse...

Já somos duas a deixar o cabelinho virar cabelão :D Vai tudo correr bem, força ^_^

Dora (Blog Desabafos de Mãe) disse...

Eu só tenho conseguido deixar crescer o meu porque ultimamente vou ao cabeleireiro com a minha filha mais velha, ela quer o cabelo comprido e quer que o meu seja igual ao dela por isso "não tenho ordem" de cortar muito e tem resultado, também já tinha saudades do cabelo comprido.
Bjs

Ela e Ele disse...

As mudanças fazem muito bem ao ego... Pelo menos na maioria das vezes ahahah
_Telma.